quarta-feira, 15 de abril de 2020

Capítulo 1: Vamos fornicar


Quando eu era criança, minha mãe roubou uma boneca do mercado para me dar de presente de natal, como ela era drogada, batizou a boneca de Padêzinha. 
Eu e Padêzinha éramos inseparáveis, ela era minha filhinha e eu a sua mamãe. Meu sonho era que aquilo um dia se tornaria realidade e eu teria uma linda bebéia de verdade em meu colo. Porém quando esse momento chegou, anos depois, eu sucumbi a luxúria e vendi minha filha por mil reais para comprar um pole dance, pois assim conseguiria seduzir mais e mais homens. 

Depois que encontrei Jesus e recuperei minha filha Layla Camile, que já estava crescida e criada, eu pedi ao Senhor para que ele me desse a oportunidade de consertar esses erros de meu passado. E ele deu! 



Memórias de uma ex-piranha
Capítulo 1: Vamos fornicar
Autor: Thiago Pereira 
Escritora e revisoura gramatical: Cleycianne Ferreira


Karine Valentiny, esse é o nome da filha da minha filha, Layla Camile, a qual eu chamo de sobrinha, pois não tenho idade e nem físico para ser uma avó. Ela é criada por Layla  e sua namorada sapatã Luana no satânico bairro de Santa Cecília, lugar ao qual eu vou constantemente, pois preciso garantir que minha sobrinha seja criada dentro dos moldes corretos da vida e não seja influenciada pelo modo de vida errático de minha cria. Virei uma espécie de Super Nanny Gospel. 

Layla, que recentemente se assumiu como não-binária (nunca entendi direito o que é isso), nunca quis me revelar quem é o pai da criança ou como tudo aconteceu, e eu tenho fechado os meus lindos olhos para isso, pois encaro a chegada de Karine Valentiny como uma oportunidade do Senhor para consertar os erros de meu passado oco. Porém a contenda tem sido grande! 

Depois de Layla Camile ficar nervosa por eu ter pedido para ela assinar um termo onde ela garantiria que Karine teria cabelos longos e usaria roupas rosas e cristãs durante sua infância, uma contenda mais grave aconteceu. 

- Mãe, eu deixei você cuidando de Karine Valentiny por algumas horas e você mudou todo o quarto dela? - indagou Layla Camile extremamente nervosa
- Layla, achei que o quarto dela ficou muito melhor assim. Um quartinho de mini varoa de verdade! - disse eu em tom angelical e encantando com as mudanças que eu mesma havia projetado.
- Paredes rosas, quadros do smilinguido e pôsteres da Mara Maravilha? Só pode ser uma pegadinha, você sabe que sou contra o uso de cores para definir o gênero de uma pessoa e não quero que Karine se torne uma crente como você! - disse Layla Camile possuída por satanás.
- Layla, eu só quero o melhor para Karine. Não precisa me tratar assim... - disse eu deixando escorrer uma lágrima de meu olho esquerdo.
- Você me vendeu por mil reais para comprar um pole dance quando eu ainda era uma bebê e agora quer compensar tudo o que não fez para mim usando a sua neta? Não vou admitir isso! Vá embora e nunca mais pise nessa casa! - disse Layla Camile gritando muito e com uma voz bem grossa. 

Fiquei com a cara na poeira. Sai chorando sem rumo pelas ruas do satânico bairro de Santa Cecília. Já era noite e assim que parei na frente de um bar e tirei o meu celular da bolsa para pedir um Uber e voltar à Itaquera, um menino de bicicleta passou e tirou ele de minha mão. 

Devolva meu iPhone XS Max! Eu ordeno em nome do Senhor! - disse eu louca em Cristo correndo atrás da bicicleta, que sumiu no horizonte. 

Desesperada e sem meu ungido produto Apple, sentei na sarjeta e chorei mais. Até que um homem louro, forte e muito parecido com Jesus parou em minha frente perguntando o que havia acontecido. 

Um moleque de bicicleta, passou e pegou o celular de minha mão. Fui roubada! - disse eu nervosa, porém dengosa ao ser encarada por aqueles olhos azuis.
- Fique calma, eu peço um Uber para você, moça bonita - disse o homem abrindo um sorriso de herói do filme Vingadores. 
Algo inexplicável aconteceu naquele momento  e eu agarrei o homem, beijando seus lábios macios, ali mesmo na rua. Ele me acalentou em seus braços e passou suas mãos em meus lindos cabelos louros. 

Você é a coisa mais linda que já vi nessa vida - disse olhando bem em meus olhos. 
Sem perceber que somos como ferros de passar roupa, que liga em cima e esquenta embaixo, fiquei com minha vagina em chamas e disse para o homem: 

- Peça um Uber, peça um Uber para a sua casa! NOW (agora em inglês)! Vamos fornicar!!

Totalmente tomada por encostos sexuais satânicos, segui para o apartamento dele na pecadoura Praça Rosevelt. Chegando lá, nem preciso contar o que aconteceu. Fiz como não fazia há anos, sentei, quiquei, fiz inúmeras posições e quando tudo terminou, um arrependimento bateu em meu peito. Como pude deixar um momento de desespero me afetar dessa forma? Não sou uma prostituta!! Coloquei minha saia jeans, meu camisete e sai correndo da cama do lindo homem.

Minha princesa, para onde você está indo? - disse o homem tirando um fio de cabelo meu de sua boca.
- Estou indo embora, isso foi um grande erro. Pegarei um táxi na praça. - disse eu arrumando meus longos cabelos louros .
- E eu nem saberei o seu nome? - indagou o homem me olhando fixamente com seus lindos olhos.
- E nem eu o seu. Melhor assim. A paz do Senhor! - disse eu batendo a porta do apartamento e entrando desesperada em Cristo no elevador. 

1 mês depois 

Layla Camile nunca mais respondeu minhas mensagens. A saudade que eu sentia da pequena Karine Valentiny era muito grande. Sentimento que se misturava com o arrependimento de ter deixado um homem que eu nem conhecia me possuir vaginalmente. Eu perdia perdão à Deus todo dia, minha contenda pessoal era tão grande, que meu corpo começou a dar sinais de esgotamento emocional e toda manhã eu acordava enjoada. 

Numa noite muito difícil, tomei umas gotinhas de Rivotril em Cristo para dormir e recebi uma revelação do Senhor que dizia: 

“Aceite a criança. Uma nova vida começará” 

Fiquei pensativa quanto a mensagem, mas depois de um tempo consegui interpreta-la claramente: Deus estava me dizendo para sequestrar Karine Valentiny, para começarmos uma nova vida juntas, bem longe daqui. Foi o que fiz e por incrível que pareça, foi muito simples! 

Como tinha uma cópia da chave do apartamento de Layla Camile e seu prédio não tinha porteiro, no meio da madrugada coloquei uma roupa toda branca e esvoaçante e peguei  um Uber até o satânico bairro de Santa Cecília. 

Bem imponente em Cristo subi até o apartamento de Layla, cuidadosamente  abri a porta, fui até o quarto de Karine Valentiny que estava a dormir profundamente, a peguei do berço e sai do apartamento. Layla e sua namorada sapatã estavam a dormir e nem perceberam a minha entrada. Eu estava protegida por Deus e Ele fez tudo dar certo, pois essa era a coisa mais correta e sensata que uma tia poderia fazer nessa situação! 

Já era quase dia quando cheguei em Itaquera, coloquei Karine Valentiny sentadinha no sofá de minha casa para ver o DVD Cassiane - 25 anos de Muito Louvor enquanto eu arrumava a mala pra fugirmos. Foi quando comecei a sentir um enjoo muito forte e comecei a vomitar pela casa toda. 

Jogada no chão e toda vomitada tive a impressão que aquilo já havia acontecido alguma vez no passado. Sentei, respirei e ao som de "500 graus" de Cassiane lembrei: fiquei assim nos primeiros meses de gravidez de Layla Camila. Fiquei paralisada!! 



- Meu Deus! Será que eu estou grávida? - disse eu para eu mesma. 

GRITEI LOUCA EM CRISTO. 








Não perca o próximo capítulo de "Memórias de uma ex-piranha" 




Colabore para incentivar a produção de material ungido para o blog e redes sociais.inc

11 comentários:

  1. Como eu estava com saudades de Cleycianne!! HANA MANTACARAYA SUYA! Êta God (Deus em inglês)

    ResponderExcluir
  2. Saudades hooooooo já quero a parte 2 tem versão por cast

    ResponderExcluir
  3. Êta irmã! Eis q te digo que isso foi levante do inimigo mas esse bebê ou bebéia será uma bença xerecontrovas. Não vos desesperais pq grande será a jeremanaias que vou eu fazer na tua vida labracanta iondecovas...ai sereias subias canta manto de rabias. Fica na dispensação e essas são minha palavras
    Êta grorias!

    ResponderExcluir
  4. Sherebecanta labassuya sharabanah, irmã! Será que teremos outra bebéia?

    ResponderExcluir
  5. Glória a Deus.
    Esses homosexuais é que trouxeram a covid ao mundo.
    Certeza.
    Irmã Genesia

    ResponderExcluir
  6. Irmão ex roqueiro15 de maio de 2020 08:29

    Deixa o milagre de dels acontecer decanta labaxurias Nébias.

    ResponderExcluir
  7. Hana Macantaranva Suya!!!! 500 graus de pura emocao!!!! Areluia e Amem Jesuis!!!

    ResponderExcluir